Como negociar dívidas: aprenda agora

Brasileiro muitas vezes não admite que possui uma dívida que não consegue arcar

O brasileiro está melhor economicamente falando, a classe C é a maior consumidora atualmente, o poder aquisitivo cresce no Brasil. Frases como estas já foram ouvidas ou lidas em diversos noticiários nacionais, com o otimismo em alta, muitas pessoas passaram a gastar mais do que ganham, o que tem como conseqüência o ganho de dívidas.

Como negociar dívidas

Não é a toa que 60% das famílias brasileiras possuem algum tipo de dívida (dados da Confederação Nacional do Comércio em Janeiro de 2013). Sejam dívidas bancárias, do cartão de crédito ou empréstimos em outros locais, elas precisam ser quitadas, do contrário podem atrapalhar sua vida. Buscar como negociar dívidas deve ser prioridade de todos aqueles que possuem uma.

Nome sujo

Quando se gasta mais do que pode, e se acumulam dívidas fica cada vez mais difícil paga-las, você pode se tornar inadimplente e com isso ganhar seu nome sujo no SPC ou Serasa. A sigla Serasa significa Centralização dos Serviços Bancários S/A, e a SPC é o Serviço Nacional de Proteção ao Crédito. Ambos são órgãos que possuem os dados daqueles que possuem dividas não pagas e vencidas, estas informações são concedidas para as lojas, bancos e empresas.

Então caso precise fechar algum negócio e algumas vezes até ser chamado para um emprego, a empresa verifica se você possui inadimplências. Caso a resposta seja positiva os lojistas e outros tipos de serviços não fecham negócios, e as empresas podem pensar melhor antes de te contratar. A pessoa fica com o chamado nome sujo, o que prejudicar sua vida. Quando a dívida é quitada seu nome é retirado dos cadastros dessas empresas.

Quando as dívidas acumuladas se tornam uma bola de neve

Muitas pessoas endividadas acabam entrando na chamada bola de neve. Por exemplo, fazem um empréstimo para cobrir o cheque especial, parcelam o empréstimo, pagam apenas o mínimo do cartão de credito, e vão fazendo novas dívidas, se faz à compra de dividas para pagar as antigas e algumas novas porque o dinheiro nunca sobra. Isso pode se tornar uma avalanche. O primeiro motivo é que não pagando as dividas a vista as empresas aproveitam para colocar juros abusivos, e a divida acaba saindo o dobro, algumas vezes o triplo do que eram originalmente.

Por exemplo, o cheque especial cobra cerca de 200% ao ano, os empréstimos pessoais pode atingir juros de 90% ao ano, e o cartão de crédito de 380% ao ano. Assim procurar como pagar dividas á vista precisa ser a primeira opção. Fazendo uma dívida para quitar outra pode acabar em inadimplência. Sem contar que o consumidor acaba ficando sem dinheiro, e caso aconteça alguma emergência, e for preciso fazer uma compra não planejada ele não terá dinheiro.

Como acabar com as dívidas

Acabar com as dívidas pode ser um processo lento e doloroso, mais sem dúvidas é necessário, e nada paga a sensação de não ter mais o peso das dívidas nas costas. O primeiro passo de como sair das dívidas é cortar os gastos desnecessários, se precisar até mesmo o café na padaria, e controlar tudo que ganha, a prioridade agora é saldar os débitos com o que sobrar. Não faça nenhuma divida nova, e com o dinheiro que for sobrando pague as existentes.

O segundo passo é procurar o banco ou empresa na qual possui dívidas e negociar os juros e uma nova e melhor forma de pagar o que se deve. O consumidor não deve se conformar principalmente quando vê que determinado juros é abusivos, procure o código de defesa do consumidor e garanta seus direitos. Em alguns casos dependendo do montante e quantidade de dívidas, vale a pena fazer um empréstimo no banco para quitar o cartão de crédito e cheque especial que possuem as mais altas taxas de juros.

Assim se fica com apenas uma para pagar mensalmente. Opte sempre pelo empréstimo com menor valor de juros. Um passo muito importante para se ter como pagar as dividas, é admitir que elas existem. Muitas pessoas empurram com a barriga o problema, ou simplesmente não admitem que não tem condições de ter algum bem material como casa ou carro, neste caso a melhor solução é vender. É preciso ter consciência daquilo que você pode ou não ter. E depois com as dívidas quitadas é importante manter o controle e nunca mais gastar indevidamente.


Comente »